(41) 3324-1541
Voltar

Noticias

01/04 - Levy faz apelo para que Senado aprove ajuste fiscal

O ministro da FazendaJoaquim Levy, fez um apelo nesta terça-feira ao Senado para que aprove com rapidez as medidas do pacote de ajuste fiscal propostas pelo governo, com o objetivo de recuperar economia da recente crise vivida pelo país.


Durante audiência da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, Levy expôs argumentos para mostrar que o Brasil tem que ajustar suas contas públicas com "firmeza e rapidez" para prevenir danos maiores à economia e "evitar uma punição do mercado".


Segundo o ministro, o país tem "risco de perder o grau de investimento" nas avaliações que são feitas pelas agências de risco, o que acarretaria "um custo altíssimo" para a economia. O rebaixamento da nota geraria desemprego e criaria mais dificuldades de financiamento para as empresas.


"Os países que não fizeram um grande esforço ainda estão com dificuldades de crescer. A Espanha fez isso e está criando emprego, tendo seu dinamismo", disse Levy.


A estratégia para reduzir a dívida pública, segundo Levy, contempla conter ao máximo os gastos do governo, eliminando também os incentivos tributários e os subsídios concedidos a vários setores nos últimos anos.


"Frente à mudança do cenário internacional, não temos que fazer um ajuste fiscal, temos que fazer uma recalibragem econômica", explicou o ministro, que também defendeu tomar medidas para elevar o nível de poupança, impulsionar melhorias na produtividade e competitividade do setor industrial.


Em paralelo, afirmou que o governo tentará "destravar" os investimentos e está impulsionando um programa de concessões de infraestruturas, como portos, aeroportos e estradas para o setor privado.


O objetivo das medidas de ajuste, segundo o ministro, é "preservar os avanços sociais" da última década, manter os empregos e os programas de distribuição de renda.


O déficit fiscal primário, sem levar em consideração o pagamento dos juros da dívida, cresceu para 0,69% do Produto Interno Bruto (PIB) nos últimos 12 meses encerrados em fevereiro, segundo informou hoje o Banco Central (BC). O buraco nas contas públicas chega a 7,34% do PIB os juros forem levados em conta.


Segundo o BC, a dívida pública está em 36,3% do PIB em fevereiro, uma taxa "relativamente alta" em comparação com os demais países exportadores de matérias-primas, destacou Levy.


http://exame.abril.com.br/economia

Sobre as entidades

A Fenabrave-PR (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores – Regional Paraná) e o Sincodiv-PR (Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado do Paraná) são as entidades que representam a categoria da distribuição de veículos no Paraná.

Siga-nos

Contato

  • Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Estado do Paraná e Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - Regional Paraná.

    Rua Visconde do Rio Branco, 1341 - Centro
    Curitiba - PR - 80420-210
  • (41) 3324-1541
  • fenabrave@fenabrave-pr.com.br
  • sincodivpr@sincodiv.com.br