(41) 3324-1541
Voltar

Noticias

30/09 - Com Oroch, Renault entra na briga das picapes

Nem tão ao céu, nem tão à terra. Para disputar o concorrido segmento de picapes, a Renault do Brasil lançou com grande pompa no Rio de Janeiro a nova Duster Oroch. Derivado do utilitário esportivo do qual herda parte do nome, o modelo tem como principal característica dimensões e capacidades intermediárias entre as populares picapes pequenas, construídas sobre a mesma base de automóveis compactos, e os modelos maiores, considerados de porte médio.

Além do visual dianteiro praticamente idêntico ao do Duster, a Oroch chega ao mercado em novembro em duas versões de acabamento, Expression e Dynamique, e duas motorizações disponíveis, 1.6 de 115 cv e 2.0 de 148 cv (com etanol), ambas flex gasolina-etanol e câmbio manual, a primeira de cinco marchas e a segunda de seis. 

Os preços sugeridos vão de R$ 62.290 (Expression 1.6) até R$ 70.790 (Dynamique 2.0). A versão intermediária Dynamique 1.6 vai custar R$ 66.790. Versões superiores, com câmbio automático e tração 4x4, também estão no portfólio do modelo, mas só chegarão ao mercado em meados do próximo ano. A montadora não tem planos de lançar uma versão diesel. 

Fruto do ciclo de investimentos de R$ 500 milhões iniciado pela Renault em 2013, a Oroch –nome de uma tribo quase desconhecida nos confins da Rússia – foi desenvolvida no Brasil pela divisão Renault Tecnologia Américas, especializada em produtos voltados às necessidades e ao perfil do consumidor latino-americano, com design assinado pelo Technocentre da Renault, na França, em parceria com o Renault Design América Latina, o único estúdio de desenho e estilo da marca no continente americano, localizado em São Paulo. O modelo é fabricado em São José dos Pinhais (PR) e também será exportado para outros mercados da América Latina. 

Entre as principais diferenças da Oroch em relação ao Duster, além da obviedade desta ser uma picape e aquele um SUV, do qual deriva, estão a suspensão traseira multilink em todas as versões, entre-eixos maior e dirigibilidade aprimorada para oferecer manuseio como o de um carro de passeio, tanto com a caçamba vazia quanto carregada. A ideia é que a Oroch entregue conforto de carro de passeio e versatilidade de utilitário, o que não chega a ser uma novidade. Segundo a Renault, para atingir esse objetivo, durante o desenvolvimento do modelo foram utilizadas 4,8 mil horas de laboratório e 720 mil quilômetros de testes na França, Brasil e Argentina. 

SEGMENTO PROMISSOR

Antes de passar o comando da Renault do Brasil para Fabrice Cambolive, novo presidente da empresa no País, Olivier Murguet, que passa a se dedicar exclusivamente à função de vice-presidente sênior da corporação e presidente da Região Américas, destacou a importância do lançamento da Oroch na delicada atual conjuntura econômica e política brasileira. “O Brasil é o maior mercado da Renault no mundo depois da França. Com a Oroch a Renault inaugura um novo segmento entre os veículos utilitários, que vai ter papel fundamental para atingirmos nosso objetivo máximo de alcançar 8% de market share até 2018”, disse Murguet. “Nós acreditamos na retomada de crescimento do Brasil”, acrescentou. 

Segundo o executivo, no Brasil as picapes são responsáveis por 80% do mercado de comerciais leves e por 13% do mercado total, com aproximadamente 450 mil veículos vendidos em 2014. Murguet destacou que as vendas de picapes compactas cresceram nove vezes entre 2010 e 2014, sendo que no mesmo período o volume de vendas de modelos com cabine dupla aumentou 50% – o maior responsável por esse salto foi o lançamento da compacta Fiat Strada com cabine dupla, que criou a categoria com preço menor. Na América Latina, em 2014, o mercado de veículos utilitários representou 1,2 milhão de unidades e se consolidou como um dos mais importantes e concorridos da região, panorama que por si só faz prever um futuro promissor para a nova Duster Oroch. 

CONCORRÊNCIA

Stradas e Saveiros, tremei. Apresentada como conceito no Salão do Automóvel do ano passado, a picape Duster Oroch pretende inaugurar um novo segmento de mercado entre os utilitários. Ela está posicionada entre as picapes pequenas, como Fiat Strada e Volkswagen Saveiro, e as médias, como Toyota Hilux e Chevrolet S10. 


Renault Duster Oroch tem cabine dupla “de verdade”, que acomoda três pessoas com conforto. Na frente, o painel é igual ao do Duster. 

Utilizando a mesma plataforma do Duster, mas com distância entre-eixos aumentada, o que a torna 38 cm mais comprida do que o SUV, seu maior trunfo em relação às concorrentes é a cabine dupla “de verdade”, onde realmente podem se acomodar três adultos. O modelo, que passou por várias modificações para se adequar à proposta, mede 4,69 m de comprimento, 1,69 m de altura, 1,82 m de largura e 2,83 m de distância entre-eixos. Maior, portanto, do que as picapes pequenas, mas um pouco menor do que as médias. 

Mas a Oroch não poderá repousar sobre os louros de suas qualidades durante muito tempo. A Fiat confirmou oficialmente na própria terça-feira, 29 - não por acaso, exatamente no mesmo dia da apresentação da Oroch para a imprensa - que em breve, provavelmente no começo do próximo ano, vai lançar também uma picape “compacta-média”, a Toro, projetada sob medida para concorrer com a Renault, em segmento que já batizou de Sport Utility Pickup, ou SUP. A nova picape da Fiat terá como maior trunfo algumas características herdadas do Jeep Renegade, principalmente o consagrado motor 2.0 Multijet turbodiesel de 170 cavalos, entre outros recursos. Bom para o consumidor. 

COMPORTAMENTO IGUAL AO DE AUTOMÓVEIS

Pesando 1.292 kg (versão 1.6) e 1.346 kg (versão 2.0), a Oroch tem comportamento dinâmico praticamente igual ao de um automóvel. Assim como seu “irmão mais velho”, o Duster, a nova picape oferece dirigibilidade fácil e agradável. 

Durante rápida avaliação do modelo pela orla marítima do Rio de Janeiro, conforto da cabine, baixo nível de ruído ao rodar e suspensões com calibragem bem ajustada foram os destaques do modelo. Ao contrário de suas concorrentes que utilizam feixe de molas na suspensão traseira, utilizando o sistema multilink independente com barra estabilizadora atrás (McPherson com molas helicoidais na frente) a Oroch é firme, mas sem ser excessivamente dura, ao rodar sobre pisos irregulares, e macia sem ser mole demais sobre pisos bem pavimentados e curvas. 


O pequeno comprimento de apenas 1,35 m da caçamba da Oroch pode ser aumentado com um extensor, assessório de fábrica que permite rodar com a tampa aberta, para acomodar até uma moto. 

A caçamba tem 683 litros de capacidade volumétrica, pode carregar até 650 kg de carga, mas tem apenas 1,35 metro de comprimento. Segundo a Renault, é capaz de transportar volumes maiores, como motocicletas, por exemplo, utilizando um extensor de caçamba, acessório que permite rodar com a tampa da caçamba aberta, homologado e legal no Brasil, mas de uso proibido em outros países, como Argentina, onde também deverá ser comercializada. 

Ao volante, é como um automóvel. Oferece a mesma boa posição de dirigir, com comandos bem posicionados e grande visibilidade, além de inesperado conforto no banco traseiro – um de seus pontos fortes. Com quatro portas e lugar para cinco pessoas, o espaço interno é outro item positivo do modelo. 

A picape já vem de fábrica equipada com o Media NAV Evolution 2.0, nova geração do sistema multimídia exclusivo da Renault que, além de integrar o sistema de som e se conectar ao celular, também oferece navegação por GPS na tela colorida de sete polegadas sensível ao toque, acessa redes sociais como Facebook e Twitter e pode passar informações em tempo real sobre o trânsito em algumas cidades brasileiras. O pacote de equipamentos e acessórios inclui itens como limitador de velocidade, controle de cruzeiro (piloto automático), sensores de estacionamento, barras transversais no teto, suporte para bicicleta ou prancha e câmera de ré, entre outros. 

Com motorização 2.0 de 148 cv e 20,9 kgfm de torque (com etanol), a Oroch respondeu com presteza ao acelerador tanto nos trechos urbanos quanto nas longas retas encontradas no percurso. A transmissão também foi redimensionada, com relações de marchas mais curtas e alavanca com engates fáceis e precisos, proporciona arrancadas e retomadas de velocidade vigorosas. Segundo a montadora, com esse conjunto motriz a Oroch é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 9,7 segundos e atingir velocidade máxima de 186 km/h, sem carga. Fôlego de sobra. 



http://www.automotivebusiness.com.br/

Sobre as entidades

A Fenabrave-PR (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores – Regional Paraná) e o Sincodiv-PR (Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado do Paraná) são as entidades que representam a categoria da distribuição de veículos no Paraná.

Siga-nos

Contato

  • Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Estado do Paraná e Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - Regional Paraná.

    Rua Visconde do Rio Branco, 1341 - Centro
    Curitiba - PR - 80420-210
  • (41) 3324-1541
  • fenabrave@fenabrave-pr.com.br
  • sincodivpr@sincodiv.com.br